Mudanças climáticas, biodiversidade e sociedade: como a teoria de redes pode ajudar a compreender o presente e planejar o futuro?
 

Marcos Silveira Buckeridge
Departamento de Botânica
Instituto de Biociências - USP
Universidade de São Paulo
msbuck@usp.br

 
Resumo

Neste artigo são discutidos alguns dos principais efeitos das mudanças climáticas globais sobre a biodiversidade. Primeiramente, as entidades vivas são caracterizadas como desenhos genomorfofisiológicos ( dgmf ) que respondem às variações climáticas de uma forma dinâmica, integrando seus diferentes níveis de organização (genético, metabólico e morfo-fisiológico) de forma a gerar padrões emergentes específicos. Em seguida são discutidas as formas de reação da biodiversidade às mudanças climáticas globais utilizando o conceito de dgmf. A teoria de redes é introduzida através de um exemplo do dia-a-dia, usando o episódio da queda do vôo 1907 da GOL e o caos aéreo que se sucedeu. À luz dos conceitos fundamentais sobre redes dos tipos ao acaso e hierárquicas, os mesmos são aplicados para levantar a hipótese de que a biodiversidade provavelmente responde ao “ataque” às redes hierárquicas nos mesmos moldes que as redes aéreas ou a Internet. Tendo em mente o conceito de redes da biodiversidade, são feitas propostas para que se previnam os ataques às redes estudando nós de rede com baixa redundância (que são os nós mais vulneráveis) e/ou nós da rede que, apesar de não tão importantes, podem estar conectados a nós centrais das redes de biodiversidade, podendo provocar ataques do tipo cracker a estas redes, como ocorreu no caso do caos aéreo no Brasil. Finalmente, a visão de redes hierárquicas é expandida numa discussão sobre a conexão com a sociedade com base na proposição de Willian Ruddiman da existência de um período Antropoceno que compreende alterações provocadas pelo homem há 8.000 anos. É levantada a hipótese de que os ataques às redes de biodiversidade têm sido mais do tipo hacker do que cracker , mas se houver um ataque cracker relacionado a fatores das mudanças climáticas, tais como variações acima de certo limiar nas concentrações atmosféricas de CO 2 , na temperatura e na disponibilidade da água para os organismos fotossintéticos, o sistema de redes da biosfera pode alterar seu equilíbrio de forma muito drástica, gerando uma singularidade e passando para um novo estado. Sugere-se que já temos tecnologia e conhecimento suficiente para encontrar caminhos que evitem o desequilíbrio global, mas que isto exigirá um grande esforço intelectual e que provavelmente incluirá o uso da teoria de redes como ferramenta estratégica.

 
Palavras chaves: Antropoceno; Desenhos genomorfofisiológicos; Redes hierárquicas; Hacker; Cracker.
 
 
Contato Revista Multiciência:
Próximo Artigo
Inicio da Página

 

Artigos:
Caracterização do Clima no Século XX e Cenário de Mudanças de Clima para o Brasil no Século XXI usando os Modelos do IPCC-AR4?
Jose A. Marengo, Maria C. Valverde
 
As Mudanças Climáticas e a Questão Energética
Arnaldo Walter
 
Mudanças Climáticas Global e Saúde: Pesperctivas para o Brasil
Ulisses E.C.Confalonieri e Diana P. Marinho
 
População e Mudanças Ambientais Globais
Roberto Luiz do Carmo
 
Mudanças climáticas, biodiversidade e sociedade: como a teoria de redes pode ajudar a compreender o presente e planejar o futuro?
Marcos Silveira Buckeridge
 
Le réchauffement climatique : impacts sur les agricultures européennes
Seguin
 
Climate Changes in the Agricultural Sector of Developing Countries: Mitigation, Adaptation and Decision Making
Walter E. Baethgen
 
Mudanças Climáticas Globais e a Agricultura no Brasil
Giampaolo Queiroz Pellegrino, Eduardo Delgado Assad, Fábio Ricardo Marin
 
Resenhas
Uma Síntese do Quarto Relatório do IPCC
por Ana Maria Heuminski De Ávila
 
Mudanças Climáticas: Uma Verdade Inconveniente
por Michele Karina Cotta Walter
 
Rede Interdisciplinar
Publicações Sobre Efeitos de Pesticidas em Anfíbios no Período de 1980 a 2007
 
anteriores:
 
#6 -População, Bem-Estar e Tecnologia
 
#5 -Tecnologia para a Saúde
#4 - A Linguagem da Ciência
 
#3 - A Mente Humana
 
#2 - Arte e Ciência
 
#1 - O Futuro dos Recursos
 
Próximo número:

“Avaliação e Pesquisa Interdisciplinar”